Vídeos de Biologia

Loading...

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Tudo o que precisamos saber sobre o BEIJO...

No mês dos Namorados, vamos saber um pouco mais sobre o
Beijo, Beijo, Beijo, Beijo
Beijinho, Beijão...
FILEMATOLOGIA - É a ciência que estuda o BEIJO.
     Cientificamente, o beijo apresenta números interessantes:
  • Quando você beija, está trocando, além de carinho, cerca de 250 bactérias na saliva, 9 miligramas de água, 18 substâncias orgânicas, 7 decigramas de albumina (proteína solúvel em água), 711 miligramas de materiais gordurosos e 45 miligramas de sais minerais. Melhor do que isso é saber que um beijo desencadeia a liberação de substâncias neurotransmissoras que provocam sensação de bem-estar e excitação, como a adrenalina, a dopamina e a serotonina;
  • Para beijar, o ser humano movimenta 29 músculos (doze dos lábios e dezessete da língua);
  • Um beijo apaixonado pode significar a aplicação de uma pressão de 12 quilos sobre os lábios  -  De acordo com pesquisas, as tensões faciais que ocorrem durante o beijo melhoram a circulação e o estado da pele do rosto. Além disso, o beijo pode servir para aliviar a dor, já que, quanto mais apaixonado, maior a liberação de endorfinas, uma substância hormonal que tem propriedades analgésicas semelhantes às da morfina;
  • O beijo libera a oxitocina, um hormônio ligado ao amor e também à excitação sexual. Através desta liberação, aumentam também os níveis de dopamina, neurotransmissor associado ao prazer, pois o circuito cerebral considera positivo o incremento da oxitocina;
  • Um beijo rápido e romântico ajuda a queimar até três calorias;
  • A doutora Helen Fisher, professora da Universidade de Rutgers de Nova Jersey (EUA), afirma que "um beijo é um mecanismo de avaliação do companheiro", e que, durante o ato de beijar, ocorre uma série de reações químicas e, em alguns casos, um beijo ruim pode ser o "começo do fim" de um novo romance;
  • Antropologicamente, o Beijo representa pouco mais de 90% das atividades sociais dos seres humanos e também é um instinto natural para estimular os mecanismos da reprodução. Quando beijamos, vemos, cheiramos, sentimos o outro. A saliva do outro contém quantidades de hormônios que são um indicador de sua personalidade. Ao beijar, o cérebro fica ativo. Cinco nervos levam mensagens do que estão sentindo. É realmente uma ferramenta de avaliação muito poderosa!!!
  • A estimulação cerebral causada por um beijo leva à produção de oxitocina, noradrenalina, dopamina e serotonina que influenciam o humor, ansiedade, sono e alimentação. Para além desta liberação, desencadeia-se também, durante os preliminares do ato sexual, fenômenos periféricos na dependência da liberação de testosterona, sendo uma das explicações prováveis para alguns estudos referirem que os homens preferem beijos mais úmidos e com a boca mais aberta (o que favoreceria a estimulação sexual da mulher e permitiria também avaliar a fertilidade e o ciclo estrogênico);
  • O beijo também está relacionado com o sistema imunológico. Estudos recentes dizem que o Beijo serve para as mulheres serem expostas a determinados anticorpos que lhes desencadeiam uma reação imune de forma a preparar para a escolha do par, ou seja, é uma forma de identificação imunitária em que as células poderiam identificar outras com quem seria vantajoso conjugar;
  • O Beijo está relacionado a uma forma de combate à depressão. Com um ósculo, um sinônimo para este ato, baixam-se os níveis de cortisol, um hormônio que rege a resposta ao stress do nosso organismo, sendo que é considerado um calmante natural;
  • Beijar na boca pode beneficiar a pressão sanguínea, o sistema cardiovascular e os níveis de colesterol, além de prevenir cáries e outros males relacionados à dentição;
  • Faz ainda com que o nosso sistema imunitário fique reforçado, visto que ele aumenta a sua atividade. Transmitimos vírus através deste contato físico e por isso se promove “uma espécie de defesa e um fator de equilíbrio homeostático entre nós e o ambiente”. Este reforço é conseguido não apenas através da composição dos fluídos de um beijo, mas também a nível central, pois o cérebro tem a capacidade de equilibrar este sistema.
  • Uma pessoa troca, em média, 24 mil beijos (de todos os tipos, dos maternais aos apaixonados e até os roubados) ao longo de sua vida;
  • Um beijo pode repassar 250 vírus e bactérias diferentes. Quando se beija alguém, resíduos de sua saliva permanecem em sua boca por 3 dias;
  • As batidas do coração sobem, em média, de 70 para 150 vezes por minuto durante o beijo. Isso força o coração a bombear 1 litro de sangue a mais, pois as células pedem mais oxigênio para trabalhar;
  • Os beijoqueiros sofrem menos de doenças do aparelho circulatório, do estômago e da vesícula. Diminuem também os casos de insônia e de dores de cabeça;
  • Quando um dos namorados beija o pescoço do outro com mais força, provoca um aumento de pressão no local que pode romper os capilares (vasos bem frágeis). Forma-se uma mancha proveniente do sangue que escapou e ficou preso embaixo da pele;
  • O americano Alfred A. E. Wol estabeleceu o recorde mundial de beijos. Ele beijou 8.001 pessoas em oito horas;
  • O escultor francês Auguste Rodin, de tantos delírios amorosos que viveu com Camille Claudel, imortalizou o beijo em uma de suas mais famosas obras, “O Beijo”;

  • O final da Segunda Guerra Mundial foi anunciado em 1945. Na comemoração, um soldado beijou uma enfermeira no meio da rua. A foto, de Alfred Eisenstaedt, foi publicada na revista Life e depois rodou o mundo;
  • Se você pensa que, quando beija, só sua boca trabalha, está completamente por fora. Fique sabendo que todo o seu organismo entra em ação. Além dos seus cinco sentidos paladar, olfato, audição, visão e tato entrarem na jogada;
  • Os médicos e os psicólogos alemães concluíram que aqueles que beijam, faltam menos ao trabalho por motivo de doença do que aqueles que não beijam. Aqueles que beijam, também sofrem menos acidentes no trabalho, ganham 20 a 30 por cento a mais e vivem aproximadamente cinco anos a mais. A razão desta ótima notícia é a energia positiva que o beijo passa para aqueles que beijam no começo do dia. Conseqüentemente, se você quiser ter mais dias felizes, saudáveis, ser bem sucedido, e viver mais, você deve beijar o seu amor antes que você vá trabalhar, todos os dias;
  • Um beijo é geralmente a primeira vez que dois povos têm um contato próximo um com o outro. Uma fonte anônima no “Livro dos Beijos” por William Bastão descreve um beijo como algo que você não pode dar sem fazer exame, e não pode fazer exame sem dar. Uma outra fonte anônima diz que você não deve esperar para conhecer melhor alguém antes de beijá-la, você deve beijá-la primeiramente para depois então você conhecê-la melhor;
  • A beleza do beijo é que traduz cada língua e religião. Jr. de Vaughn Bryant, professor do departamento de antropologia no Texas A&M, dita que o primeiro beijo erótico foi trocado aproximadamente 1500 A.C. na Índia. Antes desse tempo não há nenhuma evidência (tabuletas de argila, pinturas da caverna ou registros escritos) que indique o histórico do beijo. Bryant disse também que o ato de friccionar e pressionar os narizes e a troca das línguas entre amantes, se popularizou aproximadamente em 1500 A.C.;
  • Os mais antigos relatos sobre o beijo remontam a 2.500 a.C., nas paredes dos templos de Khajuuraho, na Índia. Diz-se que na Suméria antiga Mesopotâmia, as pessoas costumavam enviar beijos aos deuses, Na Antiguidade também era comum, para gregos e romanos, o beijo entre guerreiros no retorno dos combates;
  • Foram os Romanos que descobriram o beijo. Os Romanos beijavam-se cumprimentado uns aos outros, beijavam as vestes e os anéis de seus líderes e estátuas dos deuses mostrando sua submissão e respeito. Os imperadores permitiam que os nobres mais influentes beijassem seus lábios e os menos importantes as mãos. Os súditos podiam beijar apenas os pés. Eles tinham três tipos de beijos: o basium, entre conhecidos; o osculum, entre amigos; e o suavium, ou beijo dos amantes;
  • Sabe-se também que a química provocada faz com que um beijo alerte outro. Quando nós beijamos, os interiores de nossas bocas e as bordas de nossos lábios produzem uma substânciaquímica que aclama para mais beijos;
  • Um estudo em 1997 na universidade de Princeton concluiu que nossos cérebros estão equipados com os neurônios que nos ajudam a encontrar os lábios de nossos amantes no escuro.
 Seja ele qual for...
O importante mesmo é
BEIJAR MUUUUUUUUUUUUITO!!!